Trabalhadores rurais da usina Porto Rico cruzam os braços por atraso de pagamento

Trabalhadores rurais da usina Porto Rico, localizada no município de Campo Alegre, cruzaram os braços na manhã desta terça-feira, 04, por conta do atraso salarial. 
De acordo com o secretário de Assalariados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), Cícero Domingos, apenas 40% da primeira quinzena de outubro foi paga aos trabalhadores.
“Além de só ter sido pago menos da metade da primeira quinzena de outubro, a segunda ainda está em aberto. Os trabalhadores cruzaram os braços e deixaram a cana queimada no campo, voltando para casa”, informou Domingos.
Segundo o representante da Fetag-AL, os trabalhadores só retornarão ao corte da cana caso a empresa faça o pagamento das quinzenas em atraso.
“São pais de família dos municípios de Limoeiro, Campo Alegre e Anadia que vivem do corte da cana e que estão sem receber seus salários. Eles precisam desse dinheiro para sobreviver e alimentar os filhos”, finalizou Cícero Domingos.