Trabalhadores recusam proposta de usinas de parcelamento de rescisão

Dirigentes dos 46 Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) da zona canavieira de Alagoas decidiram recusar a proposta apresentada pelas usinas que pedia o parcelamento das rescisões trabalhistas.
“Parcelamento de rescisão é um assunto muito delicado. A proposta é para começar a pagar em 30 dias e só concluir em 30 de setembro. O pleito foi reprovado, por unanimidade, pelos dirigentes sindicais”, declarou o secretário de Assalariados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), Cícero Domingos.
As lideranças sindicais, reunidas em assembleia realizada na manhã desta segunda-feira, 27, no centro social da entidade, localizada no bairro de Mangabeiras, debateram apenas a segunda proposta apresentada pelas usinas que pedia a redução da carga horária e de salários para os trabalhadores que não forem demitidos na entressafra.
“A classe patronal pedia 25% de redução de salário e menos dois dias trabalhados. Nós vamos apresentar uma contraproposta de 20%. Se eles aceitarem, vamos levar para análise do Ministério Público do Trabalho (MPT). Caso seja considerada legal, vamos encaminhar a proposta para votação em assembleias que serão realizadas nos municípios canavieiros”, declarou Domingos.
Segundo ele, o debate sobre a redução da carga horária foi aceito desde que não afete as férias e o décimo terceiro dos trabalhadores. “Muitas usinas já pararam e as últimas encerram agora em abril. Precisamos ter uma posição definida até maio”, finalizou.