Termo de Cooperação Técnica garante implementação do Barriga Cheia para cinco mil famílias do campo

Trabalhadores rurais que fazem parte do projeto Barriga Cheia – no município de Teotônio Vilela – prestigiaram, na manhã de ontem, a solenidade de assinatura do Termo de Cooperação Técnica para a implementação do projeto de produção alimentar, o Barriga Cheia em mais 45 municípios alagoanos.

O presidente da Federação dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag/AL), Genivaldo Oliveira, o vice-presidente, Antonio Vitorino, os secretários de Assalariados, Antonio Torres, e de Comunicação, Cícero Domingos, estiveram presentes a solenidade realizada na manhã desta sexta-feira, 23, no Palácio República dos Palmares.
A ampliação do projeto, que é realizado com sucesso no município de Teotônio Vilela desde a década de 90, foi uma das solicitações da entidade ao governador Teotonio Vilela, logo no início do governo.
“É um sonho que carregava comigo desde que entrei na Fetag e que agora começa a se tornar realidade. Esse projeto vem amenizar a situação dos trabalhadores no período de entressafra da cana. Ele representa um avanço social. O Barriga Cheia terá início com cinco mil famílias. A tendência é que o programa dê certo e queremos que ele seja ampliado”, acrescentou o presidente da Fetag/AL.
“O Barriga Cheia não soluciona o problema da fome no campo, principalmente na zona canavieira durante o período da entressafra, quando vários pais de família perdem o emprego, mas proporciona um grande alívio”, acrescentou Oliveira.
O Barriga Cheia consiste no plantio consorciado da cana-de-açúcar com milho e feijão e tem o objetivo de atender um contingente de cinco mil famílias.
Segundo Oliveira, o excesso da produção poderá ser vendido pelos trabalhadores e ajudar no sustento das famílias.
A Conab participa da ação social com a doação de cinco mil cestas básicas com 26 produtos para as famílias selecionadas para participar do projeto.
Participam do projeto 12 usinas de cana-de-açúcar que participam do projeto disponibilizando 2,5 mil hectares de terras adubadas e prontas para o plantio.
De acordo com o Termo de Cooperação Técnica, cada família cadastrada será beneficiada meio hectare, onde poderá plantar feijão de corda ou carioquinha, além de milho.
A seleção das famílias cadastradas está sendo realizada pela Fetag/AL e a assistência técnica pela Secretaria de Estado de Agricultura e do Desenvolvimento Agrário.
De acordo com o vice-prefeito de Teotônio Vilela, Ivaldo Vilela, um dos idealizadores do Barriga Cheia no município, a implementação do projeto para outras localidades da zona canavieira alagoana é a prova do sucesso do programa.
“Para mim a assinatura deste Termo é vista como muita satisfação. Começamos com o Barriga Cheia em Teotônio Vilela com apenas quatro hectares. Dez anos depois, são 350 hectares cultivados no inverno e 150 no verão, atendendo 900 famílias carentes e desempregadas. São lavouras de curta duração que podem ser cultivadas de forma consorciada com a cana sem afetar o desenvolvimento dos canaviais”, frisou Vilela, um dos pais do projeto Barriga Cheia.
“O Barriga Cheia é um projeto que vai fazer história em Alagoas e servirá de exemplo. Fico feliz com a parceira firmada entre as usinas, Fetag e o governo estadual. Para mim, é motivo de orgulho estar participando desta articulação social que vai fazer Alagoas avançar cada vez mais”, declarou o governador Teotonio Vilela Filho.