Início do Amigo Trabalhador 2016 aguarda aprovação de decreto

Trabalhadores rurais, que perderam o emprego com o fim da safra 15/16 e que não puderam se habilitar em outros programas sociais ou receber benefícios como o seguro desemprego, aguardam com expectativa a liberação dos recursos do programa “Amigo Trabalhador”.
Criado pelo Governo do Estado com objetivo de amenizar o desemprego no campo no período da entressafra agravado com o avanço do processo de mecanização da colheita da cana.
De acordo com o secretário de Assalariados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), Cícero Domingos, este ano, o programa deve atender dois mil trabalhadores safristas.
“Um decreto, que determina que o pagamento do benefício possa ser realizado sem que seja necessária a participação do trabalhador nos cursos de qualificação, foi enviado pela Secretaria de Estado de Trabalho e Emprego para análise da Procuradoria Geral do Estado. Como é uma alteração ao que determina a lei, estamos esperando um sinal verdade. Só após a aprovação desta proposta é que será iniciado o cadastro dos trabalhadores”, esclareceu Domingos.
Mantido pelo Governo do Estado, o Amigo Trabalhador determina o pagamento de R$ 130 pelo período de quatro meses aos trabalhadores beneficiados pelo programa, totalizando R$ 520.
“Na entressafra passada, por conta de mudanças de governo, os trabalhadores só acabaram receberam o dinheiro no último mês numa parcela única”, lembrou Domingos.