Fetag-AL e usinas voltam a discutir regime de contrato de trabalho

Representantes dos trabalhadores rurais do setor canavieiro e das usinas alagoanas voltam a se reunir na próxima quarta-feira, dia 19, a partir das 9 horas, na sede da Fetag-AL, em Jaraguá. Na pauta do encontro, o fim do impasse criado com o regime de contrato de trabalho – por tempo determinado – adotado pelas indústrias na safra 10/11.
 
A reunião foi solicitada pela Fetag-AL após assembleia, realizada semana passada, com presidentes dos 49 sindicatos dos trabalhadores rurais da zona canavieira alagoana.

Segundo a entidade ruralista, das 24 usinas de Alagoas, 18 teriam mudando o modelo de contrato de trabalho de tempo indeterminado para tempo determinado. A alteração gerou revolta dos trabalhadores que deixaram de ter direito a aviso prévio, multa rescisória e seguro desemprego.

“Na nossa convenção coletiva temos um item que determina a criação de uma comissão interna de entendimento. Com cinco representantes de cada lado, a comissão é acionada para resolver possíveis divergências trabalhistas, a exemplo do problema criado com a mudança do regime de contrato de trabalho adotado pela maioria das usinas”, declarou Antonio Torres, secretário de Assalariados da Fetag-AL.

O representante da Federação afirmou ainda que a categoria está insatisfeita e existe a ameaça de um ato público em protesto pela decisão das usinas de mudar o modelo de contrato de trabalho.

“Se não chegarmos a um entendimento, até o próximo dia 26 faremos um ato público. O pessoal está muito apreensivo e a pressão é muito grande. Um protesto não seria bom pra ninguém”, reforçou o secretário de Assalariados.