Fetag-AL alerta que crise do leite afeta agricultura familiar

Como a crise do leite afeta diretamente os pequenos agricultores familiares alagoanos, o vice-presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), José Robério Oliveira, participou da reunião promovida pela Secretaria de Estado da Agricultura para debater as dificuldades enfrentadas pelo setor. O encontro foi realizado nesta segunda-feira, na sede da Federação da Agricultura, em Jaraguá.
“Para nós que trabalhamos a organização da agricultura familiar em Alagoas um debate deste porte é uma iniciativa de grande importância. A crise do leite afeta a sobrevivência das famílias da agricultura familiar. O litro do leite no curral, até setembro, custava até R$ 1,15. Hoje, há casos de ter sido comercializado a R$ 0,55”, revelou Oliveira.
Segundo o vice-presidente da Fetag-AL, o debate tratou não somente sobre a produção de leite, mas também a comercialização do produto. “Toda a cadeia do leite foi avaliada. O foco não foi só a indústria, mas também o produtor que está na roça produzindo o leite. A Fetag-AL vai ajudar o Estado no que for preciso em busca de soluções para este problema sério que afeta a cadeia produtiva do leite em Alagoas”, reforçou.
O encontro, que reuniu entidades que representam todos os agricultores familiares e produtores rurais, além de sindicatos das indústrias do leite, foi provocado pela Secretaria de Estado da Agricultura, Pesca e Aquicultura (Seapa) para conhecer de perto das dificuldades enfrentadas pelo segmento do leite em busca de soluções para a crise.