Fetag-AL aguarda de entidades patronais início da rodada de negociação da campanha salarial

Apesar de terem sido notificadas pela Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), as entidades que representam a classe patronal do setor sucroenergético alagoano ainda não apresentaram uma data para o inicio do processo de negociação da convenção coletiva de trabalho 2015/2016.
De acordo com a Secretaria de Assalariados da Fetag-AL, o setor da agroindustriais da cana no Estado gera, durante o período de safra, mais de 55 mil postos de trabalho no campo.
Com a data-base no dia 1º de novembro, os trabalhadores rurais pedem na campanha um reajuste salarial de 19,75%. Caso o reajuste seja aprovado, o salário canavieiro passará dos atuais R$ 810 para R$ 970, além do acréscimo de um piso garantia no valor de R$ 40 e uma cesta básica mensal equivalente a R$ 100.
Em assembleias simultâneas, realizadas em setembro passado nos 45 Sindicatos dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais (STTR) que fazem parte da zona canavieira do Estado, os trabalhadores rurais aprovaram, por unanimidade de votos, a minuta da campanha salarial 15/16 que foi entregue a classe patronal.