Atraso burocrático pode inviabilizar Amigo Trabalhador este ano

Com a safra 16/17 prestes a iniciar, o secretário de Assalariados da Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Estado de Alagoas (Fetag-AL), Cícero Domingos, informou que, nesta entressafra, o programa Amigo Trabalhador não terá condições de ser executado pelo governo estadual.
“Não há mais como fazer rodar. Não tem mais tempo hábil. As usinas já estão fichando os trabalhadores para começar a nova safra da cana. Com a carteira assinada, eles não podem participar do Amigo Trabalhador”, lamentou o dirigente da Fetag-AL.
Segundo Domingos, o programa, que deveria beneficiar dois mil trabalhadores do corte da cana desempregados após o fim da safra 15/16, encerrada em abril passado, prevê o pagamento de uma bolsa qualificação e a realização de cursos de capacitação durante os meses de entressafra.
O Amigo Trabalhador, que começou a vigorar em 2013 e que é executado pela Secretaria de Estado do Trabalho, determina para cada trabalhador o repasse de quatro parcelas mensais no valor de R$ 130.